A escolha do caminho

No Xamanismo, por muitas vezes, eu ouvi que a escolha do nosso caminho deve ser aquele que, ao nosso olhar, é o mais belo e harmonioso. Ao parar para entender essa sábia orientação, percebo quantas teorias, que aí estão, que só são compreendidas quando as crenças e dogmas não condicionam a minha caminhada.

Ao me deparar, nessa antiga tradição, com a indicação do lado que for mais belo, segundo o meu olhar, nele estará o meu caminho. Isso não significa, de forma alguma, que o outro caminho seja feio, errado ou que não seja válido. Mas, é sabiamente dito que, mesmo sendo a vegetação a mesma e/ou a paisagem parecer idêntica, é preciso voltar para dentro mim (ou de si próprio) – e isso se dá por meio do autoconhecimento e autocuidado – e VER o que perante os meus olhos é mais bonito.

Assim quando eu estiver percorrendo o caminho que eu escolhi – seja nas dificuldades ou em momentos de grande alegria – eu terei certeza de que estou onde deveria estar, tudo tem um PARA QUE e todos os ASSUNTOS vividos são, na verdade, temas da minha alma. Eu vou escolher não transferir as minhas responsabilidades para as outras pessoas ou para Deus e me apropriarei do meu poder.

E o que significa VER?

Segundo a Leitura Corporal (trabalho desenvolvido por Nereida Vilela) a ação VER acontece depois de OLHAR, AVISTAR e ENXERGAR. Em um primeiro momento eu OLHO, logo pratico o ato da vontade de conhecer.  Depois eu AVISTO, pois, dentro de tudo que olhei, seleciono algo e crio um tema para minha focalização. A partir daí ENXERGO, dessa forma, leio, conceituo e significo. E assim consigo VER, porque seleciono um elemento e o integro. E é através dessa VISÃO que me aproprio de algo que, em princípio, era apenas uma possibilidade.

É por esse motivo que eu me convido e convido todos a VEREM mais a VIDA! Vamos praticar e aprimorar a nossa visão em nossos relacionamentos, trabalho, cursos…

VEJAM A VIDA!!!

Um grande abraço!

Bruna Letícia – Terapeuta da Alma

Nenhum comentário

Deixe seu comentário